Conselhos úteis:

A morte de um ente querido é sempre uma situação de dor, desespero e aflição. Nestas condições torna-se difícil para os familiares saberem ao certo todos os procedimentos a tomar, bem como as informações e documentos necessários. Independentemente do local onde ocorra o óbito, os familiares apenas têm de contactar a agência funerária, pois esta facilmente contactará com as autoridades competentes a fim de ser possível realizar o funeral. Por outro lado, existem certos procedimentos a tomar mediante a forma em que o óbito ocorreu.

 

No domicílio:

O óbito quando ocorrido na residência da pessoa ou de alguém a quem o falecido estivesse a cargo, bastará que a referida pessoa ou o familiar entre em contacto com a Agência Funerária. Esta por sua vez entrará em contacto com o Médico de Família, Médico assistente ou Delegado de Saúde,   da área de residência. É também a Agência Funerária que irá declarar perante as Autoridades Competentes a ocorrência do óbito, nomeadamente, Conservatórias do Registo Civil ou Polícia de Segurança Pública. Para tal, são necessários vários documentos, bem como algumas informações solicitadas pelas conservatórias do Registo Civil.

 

No hospital:

Ao ocorrer a morte de um ente querido num estabelecimento hospitalar, a própria instituição informa os familiares do ocorrido. Os familiares deverão, com a maior brevidade possível, contactar a Agência Funerária, mesmo antes de se dirigir à casa mortuária do hospital para que a Agência inicie todo o processo de preparação do corpo a fim de serem evitadas situações delicadas para os familiares.

 

Outros locais:

Quando o óbito ocorre na sequência de um acidente (de viação, afogamento, crime, etc. ), deverá ser de imediato contactada a autoridade competente da área onde o sinistro ocorreu. Esta por sua vez avisará a autoridade de saúde e delegado do Ministério Público da área do ocorrido.